sábado, 26 de fevereiro de 2011

Dears

Obrigada pelas mensagens de apoio e de animo que tenho recebido. Vocês são a minha grande força, acreditem!
Na verdade, tenho ido ao baú das minhas memórias, porque tenho estado a trabalhar no meu livro, e há coisas que me deixam nostálgica. Momentos que fizeram a minha vida mudar por completo, e que fizeram com que me tornasse naquilo que sou hoje, para o bem e para o mal.
Claro que ainda é cedo para fazer um balanço da minha vida, ainda sou muito nova, mas é um momento especialmente duro para mim, e tenho sentido uma carência total.
O livro, tal como o site, vai servir para esvaziar tudo o que tenho aqui dentro, e que nunca deitei para fora. Vou contar tudo, sem medos nem receios.

Beijos

Mia

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Rotina

Acordar sozinha, almoçar sozinha, passar a tarde sozinha, jantar sozinha, passar o serão sozinha.
A minha semana é sempre uma infelicidade!
Só aos fins de semana, e quando não trabalho, é que há alegria e sorrisos não forçados.

A minha vida obriga-me a ter certas rotinas, até para não dar nas vistas. E acabo por esconder-me das pessoas. Ando para aqui, ando para ali, e na maior parte das vezes completamente só.
Valha-me o meu querido Ipod, porque me vai fazendo companhia.
Às vezes só me apetece chorar, chorar muito.

Sou uma pessoa super social, e neste momento, só o posso ser ao fim de semana. Sou "soci" em part time.
Que neura!

Beijos

Mia

So far away, era onde eu queria estar!

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Anti-Crise

Nunca tive tantas propostas como agora. O meu agente bombardeia-me todos os dias com propostas, umas mais originais que as outras, e outras mais bem pagas.
O estranho é serem tantas. Note-se que as pessoas não sabem que eu sou a "Mia Tolerada", porque tenho a certeza que aí é que seria muito requisitada!
Por isso, tenho rejeitado mesmo muito trabalho.
Até porque sempre defendi a velha máxima: "Poucos mas bons clientes". A exclusividade é fundamental neste emprego, caso contrário eu própria me banalizo e deixo de levar cada trabalho tão a sério. Gosto de me preparar, e dedicar a 100% para cada cliente. Como se fosse uma actriz a preparar a participação num filme. Uma coisa de cada vez, e com muita calma.
Por isso é que sou tão procurada.

De qualquer forma, num momento em que se fala tanto de crise, é caso para perguntar onde é que ela pára?
É que eu não aceito cartões de crédito...

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Em resposta...

No post anterior, eu estava a brincar, obviamente. SPORTING ATÉ À MORTE.

Ah, e claro, como bairrista que sou, se não puder ganhar o Sporting, que ganhe o FêCêPê

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Horas extra

Hoje tive um trabalho invulgar: Ser acompanhante num jantar de amigos, numa casa privada, com o objectivo de ver o Sporting - Benfica. Foi a primeira vez que tive uma situação destas. Normalmente são jantares de negócios, ou de família. Jantar convívio para um jogo de futebol de amigos nunca me tinha acontecido.
O jantar foi super agradável, boa conversa, boa comida, e um ecrã gigante para ver o jogo.

O mais engraçado, é que ele me levou ao sitio onde eu tinha estacionado o carro, e nem sequer houve sexo! Porquê? Porque o cliente é gayyyyy!! Portanto, ganhei 1000 euros, para ir jantar e ver o Sporting - Benfica.

As aparências são tudo nesta vida. Os amigos dele ficaram a pensar que ele era um garanhão, que conseguiu uma "gaja" boa, e devem estar neste momento a comentar-me e a invejá-lo.

Ps: O Sporting perdeu outra vez, acho que vou mudar de clube! Sugestões?

Beijo

Mia

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Orgia

Fui convidada para uma orgia que se vai fazer em Sintra, no final do mês de Março.
Recusei porque esse tipo de festas são muito perigosas por 3 motivos:

 - Muita droga
 - Muito sexo desprotegido
 - Alguma violência

Nunca participei nesse tipo de festas, porque o meu agente sempre me aconselhou para não o fazer.
Mas, para terem uma ideia, cada mulher que participe nessa festa, recebe roupa, e 10 mil euros para participar na orgia. Ao que ouvi, é uma festa para cerca de 100 pessoas. Portanto, por volta de 50 mulheres. Ora, se metade são homens e metade são mulheres, estão 500 mil euros em jogo. Fora dinheiro para pagar a festa em si, e a droga.
Quem paga? Os políticos, os artistas, os jogadores de futebol, etc. Sempre o mesmo mundo.

Proposta

Tenho em mãos uma proposta de trabalho, que engloba novamente outra mulher. Mas desta vez a mulher em causa não é uma escort, mas sim a mulher de um cliente.
Está bastante dinheiro em jogo, mas o risco é haver uma cena de ciumes ou um desconforto da parte da mulher do cliente. São situações novas, com que às vezes as pessoas não sabem lidar.
Quem é que diz que no momento em que o cliente estiver entusiasmadíssimo em cima de mim, a mulher não se passa completamente da cabeça e começa a disparatar?? É um risco grande, porque o facto de querer muito experimentar uma coisa nova, não significa que se esteja pronta para essa experiência.
No entanto, estou 90% inclinada para aceitar. Primeiro porque gostei da experiência que tive com outra mulher, e depois porque está em cima da mesa um valor a rondar os 7500 euros para um fim de semana.

Beijos

Mia

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Ontem, Hoje e Amanhã

Que passado, que presente e que futuro?
O passado foi bom, o presente é razoável, e o que me trará o futuro?

Uma vida diferente se avizinha. Será que serei capaz de guardar este meu segredo até à morte? Será que um dia que encontre o homem da minha vida, lhe conte todo o meu passado?
São várias as interrogações da minha vida neste momento. Não tenho respostas para tudo.

O ideal quando deixar este mundo, é apagar, esquecer e seguir. Quando abandonar esta minha vida paralela, para todos os efeitos, nunca existiu.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Dia dos namorados

Como podem imaginar, ontem foi dia de trabalho para mim.
Porque para além de dia 14 de Fevereiro ser o dia dos namorados, é também o dia dos "encalhados".

Um cliente habitual, "ofereceu-me" uma noite muito especial.
Levou-me a jantar, a beber um copo, e finalmente, para um hotel em Espinho.

Quando chegamos ao restaurante, um conhecido restaurante na zona de Miramar, o ambiente era ultra-romântico. Uma decoração especial, um menu especial. Velas na mesa, corações por todo o lado, média luz.
Diria que estava um ambiente perfeito. Perfeito para um casal normal, como os muitos que enchiam por completo o restaurante. Quando estava a jantar, olhei à volta, e percebi a felicidade que irradiava das mesas contiguas à minha. A minha mesa era uma fachada, um contrato, nada mais do que isso.
Senti-me triste, os meus olhos encheram-se de lágrimas. O meu cliente, talvez por simpatia, percebeu, e soltou também uma lágrima. Fui ao WC, recompor-me, tinha que ser profissional, e entregar-me a 100%, tinha que oferecer uma grande noite ao meu cliente.
Quando voltei à mesa, ele ofereceu-me um presente, um perfume. Sorri, agradeci, e ficou tudo bem. Engoli a minha tristeza. The show must go on, como alguém dizia.
A partir desse momento, o jantar evoluiu e senti-me bem. Comi um Risotto de Gambas, que estava uma delícia, acompanhado de uma sangria de champagne.
Não costumo beber, mas ontem abri uma excepção, e bebi 2 copos de sangria. Senti que precisava muito.
Para sobremesa, comi uma mousse de chocolate branco com molho de vodka, que estava divinal!

Depois do jantar, fomos até um bar, aí bebi uma cola. Ouvimos e dançamos ao som de música dos anos 80, clássicos românticos, o normal para um dia de S.Valentim.

A dada altura, o cliente puxou-me, deu-me um beijo, e segredou-me, "vamos até ao hotel". Com toda a calma do mundo, fomos caminhando até ao Hotel, subimos, e chegamos ao quarto. Já conhecia aquele Hotel, e aquele quarto em particular. Por alguma superstição, aquele meu cliente escolhe sempre o mesmo quarto. Contemplei a vista. Não vi grande coisa, estava um temporal violentíssimo.
Dissera ao meu cliente que não dormiria ali, e que por volta das 6, 7 da manhã, queria estar em casa.

Despiu-me, atirou-me para cima da cama, despiu-me com uma vontade incontrolável. Passou a lingua carinhosamente por cada recanto do meu corpo, atiçando-me. Despi-o, abraçou-me, e logo a seguir, possuiu-me violentamente! Fizemos sexo desenfreado 3 vezes. Passamos e repassamos por todas as posições. Ele estava em brasa. E eu também. O sexo foi muito bom, e fez-me bem. Mas foi sexo, e nada mais do que isso.

Foi bom, mas quando cheguei a casa chorei muito. Hoje, estou com os olhos inchados. Esta vida não me está a preencher. Estou a precisar de alguém. Alguém que eu ame, e que me ame, alguém a quem eu possa ligar, com quem possa desabafar, com quem eu possa fazer amor. Só que esse alguém só pode chegar quando eu for verdadeiramente eu. Sem mentiras.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Se eles soubessem

A Mia Tolerada anda nas bocas do mundo. O meu "alter-ego".
Sinceramente, nessas alturas, estremeço por dentro. De facto, a notoriedade que a minha história atingiu, faz com que chegue até mim por outras pessoas " então, já ouviste falar da tolerada? uma acompanhante de luxo que andou no Garcia. Gostava tanto de saber que ela é!".
Recorrentemente, em jantares, e em bares, o assunto vem à baila. E claro, até eu dei a minha opinião sobre o assunto. Fico arrepiada, e isso não é bom. Sobretudo quando ouço comentários muito desagradáveis de alguns amigos.
Se eles soubessem...

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Sítios

A cama. Sitio mágico onde tudo acontece. Mas há quem prefira outros locais para ter sexo.
Falo de sítios dentro de casa (porque fora de casa há coisas muito estranhas, como a história do galinheiro, por exemplo).

Na cama, na mesa da sala de jantar, no sofá, na banheira, no chão, são locais que o mais comum dos mortais já terá experimentado.
Mas há alguns sítios por explorar, que têm muito que se lhe diga.

Já tive clientes, que queriam fazê-lo debaixo de uma cama, outros em cima da escada que serve para ir buscar os livros na livraria, em cima de um piano, dentro de um armário, no parapeito de uma janela, numa varanda, dentro de um frigorífico,  dentro da despensa, em cima do balcão da cozinha, da mesa de bilhar, enfim, a imaginação é muita e as taras sem fim!

Comprimidos

Há por aí muito boa gente que julga que tomar viagra ou medicação semelhante os torna uns verdadeiros tigres na cama.
Não sabem é que isso é totalmente enganador. O uso do viagra é uma coisa que se nota à distância! O acto torna-se completamente artificial. Os movimentos, as expressões, o desejo, são incomparáveis. E as mulheres percebem perfeitamente a diferença entre a vontade real e a vontade induzida.
Portanto, usem o viagra só em caso de absoluta necessidade. Caso contrário ficam mal vistos.
(Para além dos problemas de saúde que o uso indevido dos viagras e relacionados comportam).

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Sem efeito

Desisti. Não vou fazer o trabalho para o site. Era bom dinheiro, mas é muito arriscado. Não posso expor-me dessa forma, porque sabemos bem que o mundo é pequeno, e que podia ser vista. Daí a passar por mail pelo país todo era um tiro. Fica sem efeito.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Reacções

O feedback que tenho recebido em relação à entrevista que dei à Focus tem sido tremendo. A todos o meu muito obrigada! Vou continuar a partilhar convosco o meu dia-a-dia, e vou terminar o meu livro, para publicá-lo quanto antes.
Queria também agradecer publicamente à Jornalista da Focus, que fez um trabalho excelente, e que tratou o assunto com uma nobreza impressionante.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Focus

Convido-vos a ler a revista Focus desta semana (saiu hoje), e tem lá uma surpresa para vocês.

Beijos

Mia

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Novo Projecto??

Estou em Coimbra, a ponderar aceitar uma nova proposta de trabalho: Fazer uns trabalhos para um website americano de adultos. Não, não vou ser nenhuma porn star, simplesmente me querem contratar, para trabalhar 9 horas por semana. Basicamente tenho que estar nua a fazer brincadeiras para a web cam. Fácil.
E pagam mesmo muito bem. Nunca imaginei fazer uma coisa dessas, mas estou a pensar seriamente no assunto!
Para já, pagaram-me para fazer publicidade de um dos sites deles no meu blog. Nada mau...

O meu agente é GGGGGRRRRAAAAAANNNNNDE!

3a feira na cidade dos estudantes

Alguém sabe o que é que se pode fazer numa terça feira à noite aqui em Coimbra??

HELP!

Beijos

Mia

Sexo complica?

Dizem que o sexo complica tudo. Discordo totalmente.
O sexo facilita torna tudo muito mais fácil. A linguagem sexual é universal, não precisa de palavras, sobram olhares, gestos, instintos.

Basta pensarmos que qualquer homem que o seja, se domina facilmente se houver uma componente sexual forte.
Nenhum homem resiste aos encantos de uma mulher.
Com uma mulher nua à frente, qualquer homem, naquele momento, vira um cordeirinho obediente.

Muitas vezes, não aproveitamos essa vantagem absoluta que temos sobre os homens. Uma mulher sexualmente libertada pode dominar o mundo. Vamos acreditar mais em nós próprias!

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Sondagem

Lancei uma sondagem no blog, para saber o que é que mais gostavam de ler no meu livro. Participem!
Mia

Ajustes de imagem

E mais um pequeno ajuste na imagem do blog. Eu não entendo nada de computadores, sou muito trenga nestas coisas, e portanto, ponho-me a mexer às tentativas, a ver se a coisa melhora.
De qualquer forma, agradeço as sugestões queridas que me têm mandado por mensagem, para melhorar ou corrigir coisas na imagem do site.

Obrigada!

Mia

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Equívocos

Antes de mais, peço-vos desculpa por ter colocado esta foto, porque sempre vos brindei com fotos lindíssimas, e o "modelo" desta foto, em termos de beleza, deixa muito a desejar. É a minha opinião.

Uma acompanhante de luxo não tem um ar vulgar nem "rasca".
Uma acompanhante de luxo na verdadeira acepção da palavra, é uma Senhora, com S bem grande, que mistura beleza, inteligência, cultura, e sobretudo CLASSE.
Tem que ser uma pessoa que consiga ser ao mesmo tempo vistosa, mas discreta. Tem que fazer parar o trânsito e ser vista como uma autêntica princesa.
Não é acompanhante de luxo quem quer, é acompanhante de luxo quem pode.

E uma pessoa sem o mínimo de formação, sem o mínimo de cultura, sem o mínimo de classe, que aparece constantemente em figuras ridículas, com o corpo cheio de tatuagens e cheia de piercings, cabelo mal pintado de um loiro pindérico, pode ser uma prostituta, mas não será certamente uma acompanhante de luxo. (A democracia permite-me felizmente fazer essas críticas).
Irrita-me que certas pessoas, andem a passar uma ideia totalmente errada do que é o mundo das escorts acompanhantes de luxo. Não é nada disto.
Uma acompanhante de luxo é normalmente uma mulher de sonho. Em todos os aspectos.

O facto de andar a passear com presidentes de clubes e actores mais ou menos conhecidos, não a torna "de luxo".
Na maior parte dos casos de pessoas que se dizem "acompanhantes de luxo", estamos a falar de pessoas de "anúncio de jornal", que cobram ou cobraram 50 euros por cliente, que andaram em bares de strip, de alterne, e casas de má fama afins.
E nesses sitíos não se ganha 40.000 euros por mês. Porque se se ganhasse, não era preciso ir para um big brother por 1000 euros por mês.

Portanto, não se deixem enganar.

Desculpem, mas hoje estava a ler o jornal, e depois de ver uma entrevista, fiquei um bocado ácida, e tive que partilhar isto com vocês.

Vejam neste endereço, o que é uma acompanhante de luxo (pelo menos na vertente física, e tirem as vossas conclusões. Façam a devida comparação). http://www.come2us.pt/

ps: não pertenço a esta agência, nem estou a fazer-lhe publicidade. Não vale a pena perguntarem-me se sou uma delas.

Beijo

Mia

sábado, 5 de fevereiro de 2011

GRANNNNNNNNDEEEEEE NOOOOIIIIIIIITE!

A noite de ontem foi espectacular! Amei! Esqueci tudo o que de mau se tem passado.
Ainda por cima está um sol radioso no Porto. Dia bonito, que bom!

HAPPY HAPPY HAPPY

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Pronta

Hoje tenho uma festa, e Já estou prontérrima para brilhar!
Adoro arranjar-me. Vou procurar esquecer o que de mau se tem passado e divertir-me como nunca!
:)

Beijo

Mia

Escrevinhar

Aproveitei para tirar mais uns apontamentos para o meu livro. Uma ou outra coisa. Para contar toda uma história são fundamentais todos os pormenores. Não quero que falte nada que seja relevante, e tem que ser cronologicamente preciso, para as pessoas perceberem a evolução que tive e a forma como lidei com as diferentes situações que se me depararam.

Perguntas Intrigantes

Uma das perguntas que mais me fazem pelo sistema de mensagens aqui do blog, é " o porquê das mulheres não gostarem da posição doggy style?" (Posição sexual em que o homem está pelas costas da mulher e a penetra por trás. Ambos devem estar de joelhos. A mulher coloca as duas mãos no chão, enquanto o homem tanto pode aproveitar para apalpar as mamocas, acariciar o clítoris, dar umas palmadas no rabo, agarrar nos cabelos da mulher e puxá-los... A posição tanto pode ser praticada na cama, como noutro local, seja o chão da cozinha, ou na praia. O nome deriva da posição natural dos cães e cadelas quando performam o acto sexual).
Bem, acho que as pessoas que me fizeram essa pergunta devem estar envolvidos com autênticas "freiras" (com todo o respeito que tenho pelas freiras).
De facto, não conheço nenhuma mulher que não goste de ser possuída por trás. A posição também conhecida por "canzana", faz as delícias das mulheres portuguesas (tenho a certeza absoluta!). Só se a vossa companheira tiver um trauma qualquer e se ache subjugada de alguma forma, e essa posição a melindre.
Bom, não sou conselheira sexual, mas falem com a vossa companheira, e levem-na para o bom caminho, que ela vai adorar!

Mas há quem só goste de sexo de "buraquinho no pijama e luz apagada".

Mia

Bom Dia!

Hoje acordei bem cedo, tomei um pequeno almoço divinal, e vou tratar de mim. Só miminhos para mim! :)

Indecisa

Não sei ainda o que fazer.
Estou num enorme dilema.
Estou convencida de que se divulgar aqui o nome do cliente que me agrediu, ele nem sequer vai reagir. Vai ter medo que o "rumor" se espalhe e se torne capa de revista, e portanto não o vai alimentar.
Isso parece-me óbvio. E portanto, o meu anonimato ficará salvaguardado.

Por outro lado, isso não significa que ele não venha atrás de mim, ameaçar-me ou fazer-me mal. E contra isso eu não estou defendida, porque estou sozinha. Não é fácil ele chegar até mim, porque só tem o contacto do meu agente (e jamais o meu agente lhe daria um contacto directo meu). Para além disso, não sabe sequer o meu nome, nem de onde sou. Acho muito difícil ele identificar-me.

É uma decisão muito delicada, e tenho pensado imenso nisso. Pode trazer-me consequências más. Mas acho que nunca em consciência estarei bem se não denunciar esta situação.

Alguma dica?

Beijo

Mia

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

O que se passou

Disse-vos que se passou algo de grave, mas como ainda não sei bem o que vou fazer, não vos posso contar tudo.
Posso dizer apenas que fui agredida sem motivo nenhum (só porque sim) por um cliente, sendo que o cliente é alguém muito conhecido. Uma figura pública importante em Portugal.
Estou a ponderar agir em relação a isso. Foi grave de mais. Mas não sei bem como, nem onde, nem quando.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Em casa

Hoje toda a gente foi para as antas. Noite de futebol. Confesso que não ligo muito. Sou Sportinguista, e talvez por isso não tenha muito interesse pela bola. O sporting nunca ganha nada! Mas pronto, como nunca se muda de clube, eu nunca vou mudar.
Mas obviamente, a maior parte dos meus amigos é do Porto, que hoje jogou contra o Benfica.
Vai daí, ninguém estava disponível sequer para um café, quanto mais para um jantar. Que karma!
Ainda por cima, logo agora que precisava mas é de me distraír.
Passei o serão a ouvir música, o que é sempre excelente, e fiquei logo com outra disposição.

A pensar

Ontem fui maltratada por um cliente. Um episódio grave. Ainda estou a pensar naquilo que vou fazer. Mas uma coisa é certa, não vou ficar quieta!

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

1 coisa boa, 1 coisa péssima

Hoje aconteceram-me duas situações distintas, uma importante e outra muito grave. Deixo a grave para depois, porque ainda a estou a assimilar, e a pensar o que vou fazer.

Mas há pouco, recebi uma notícia boa, para variar, um cliente estrangeiro, que fez uma proposta para eu o acompanhar durante uns dias. Ainda por cima é perto da altura em que vou a tal semana "de férias" com um cliente de que já vos falei.
Ainda bem, porque estou mesmo a ver que preciso de estar fora daqui uns tempos.
O meu estado de espírito não é o melhor.

Mia

Como uma luva

Mostro-vos um texto que li, e que me comoveu, porque tem tudo a ver comigo.
É um texto de uma brasileira, que critica os estereótipos e rótulos que põem às pessoas. É uma grande lição.

"Você tem que ser assim, tem que agir assado, deve fazer aquilo, precisa se comportar como aquilo outro. Assim, assado, aquilo, aquilo outro, tudo balela, puro rótulo. A maturidade tem me ensinado como é delicioso poder ser eu mesma sem precisar seguir um paradigma, ainda que eu me transmute o tempo todo.
Eu já ouvi bons e maus conselhos, e já segui todos os dois, como já ignorei também. Já fiz coisas boas e ruins. Me esforço para trabalhar alguns traços da minha personalidade que me sabotam, tento melhorar, mudar. E mudar nunca é fácil, muito menos imediato, mas, pelo menos existe a vontade para começar. Mas, quando essa vontade passa longe de me tomar, nem adianta tentar, o sorriso fica amarelo, a expressão forçada, o interesse dá a impressão de forjado, a satisfação soa falsa, as palavras saem mecanicamente.
Eu não sou “automatizada”, não tenho um botão de liga e desliga, embora eu concorde que ter um botão desses em determinadas situações facilitaria bastante as coisas, como diz a minha amiga.
Eu consigo me comportar conforme exige a etiqueta, sou capaz de obedecer as regras e respeito as leis, mas quando eu não quero, eu não quero; quando eu quero, eu confesso; quando eu sinto, eu demonstro; quando eu discordo, me manifesto; quando eu acho que não está bom, eu reclamo; quando eu preciso falar, nada me cala; quando fico indignada, eu não escondo; quando eu preciso fazer, eu quebro regras;  não sou sempre politicamente correta; não me comporto da maneira que se espera e não falo o que as pessoas desejam ouvir.
Eu sobrevivo mesmo não sendo benvista por todos. Ser mal vista, mal interpretada e mal julgada não me fazem ser diferente, taõpouco modificam a minha vida ou me estimulam a seguir um protótipo. Até porque, mesmo se eu me moldasse conforme os padrões da sociedade, eu continuaria sendo vista do jeito que cada um quisesse me ver, ou seja, ainda de maneira distorcida e equivocada.
Fama de porra louca? Tudo bem.  Exagerada? Careta? Radical? Feia? Bonita? Gorda? Gostosa? Inteligente? Ignorante? Forte? Frágil? Engraçada? Ousada? Abusada? Santa? Puta? Rude? Franca? Boa nisso? Péssima naquilo? Na minha constante transformação, eu posso ser cada uma delas, ou todas ao mesmo tempo, sob diferentes aspectos. Ou simplesmente nenhuma. Tudo depende exclusivamente da maneira que escolhem me enxergar. Aí já não tem mais nada a ver comigo, muito menos com as minhas escolhas."

Tal como no caso desta brasileira não identificada,  a minha escolha é simples:  não abro mão da autenticidade."

Uma enorme Mulher